Sementes Tomate Coração de Boi Bio

2,40 €

FR008-BAPH01

Novo produto

O tomate mais amado pelos portugueses – irregular, às vezes quase disforme, cativa pela doçura, delicadeza, sabor e textura incríveis e poucas sementes; maravilhoso em saladas e arroz malandrinho.

Colheita tardia, frutos grandes que pesam em média 200 g. Variedade de hábito de crescimento indeterminado que necessita de estacas para uma produção saudável. Um clássico nas saladas de verão! 

Linha Heritage

Mais detalhes

O PROJECTO

Fundada em 2015, a Sementes Vivas é a única empresa ibérica dedicada de forma exclusiva à produção de sementes de alta qualidade com certificação biológica e certificação Demeter, fazendo a produção e o melhoramento de sementes biológicas.

Na Quinta é feito todo o tipo de produção de sementes, desde a produção de variedades de flores e ervas aromáticas, hortícolas e ainda algumas culturas de adubos verdes. Sendo o cultivo para produção de sementes mais difícil e desafiante do que os cultivos normais de produção de alimentos, pelos ciclos mais longos de culturas, contam com uma equipa profissional e dedicada, especializada neste tipo de produção!

Os campos de ensaios da Quinta são uma parte fundamental, já que é nestes que se testam novas variedades e os vários lotes produzidos, de modo a verificar as taxas de germinação, a qualidade e a homogeneidade das variedades, permitindo manter a mais alta qualidade das sementes.

As sementes produzidas são 100% biológicas e com certificação Demeter para a agricultura biodinâmica. Esta certificação Demeter é ainda mais restrita e específica que a certificação biológica, comprovando as práticas agrícolas que promovem um ciclo fechado na Sementes Vivas, com diminuição dos insumos exteriores. A utilização de adubos é praticamente nula, focando-se principalmente na adubação verde e na rotação de culturas.

LINHA HERITAGE

As sementes são reserva de vida e do conhecimento de gerações e gerações que se empenharam em apurá-las e preservá-las. Quando uma semente acaba, perde-se biodiversidade e todo um património biológico e cultural. Nesse contexto surgiu a Heritage Line. A Sementes Vivas, em cooperação com agricultores, sociedade civil, municípios, universidades e outras instituições, recolhe sementes biológicas locais, que preserva, multiplica e disponibiliza à comunidade, contribuindo para a preservação do carácter vincado de sabor e beleza únicos portugueses!

O TOMATE CORAÇÃO DE BOI

O tomate coração de boi começou por ser apelidado de venenoso e o seu cultivo era meramente ornamental. Hoje em dia, é um dos vegetais mais populares do mundo e um ingrediente fundamental na gastronomia portuguesa, da mais tradicional à contemporânea. No entanto, o seu sucesso vai mais longe. O tomate coração de boi, assim chamado porque a sua forma é a do coração de um boi, é tão amado pelos portugueses que quase cada aldeia desenvolveu a sua própria seleção. Um pouco mais vermelho, um pouco maior, um pouco menor, um pouco mais carnudo, mais suculento, mais redondo ou mais em forma de coração, os portugueses amam tanto esta variedade de tomate que a sua paixão obrigou os supermercados a disponibilizá-los na época certa: verdes listrados de vermelho, não uniformes e difíceis de armazenar, quase feios, não há quem não os deseje.

Como cultivar o Tomate Coração de Boi de forma biológica?

Sementeira: Feita em tabuleiro com posterior transplante para o local definitivo. As variedades indeterminadas necessitam de compassos mais largos que as variedades determinadas.

Solo: A cultura adapta-se bem a terrenos com diferentes texturas, desde que bem drenados para evitar podridões radiculares. O pH deve encontrar-se entre 6.0 e 7.0.

Clima: Desenvolve-se bem em temperaturas entre os 16°C e os 32°C; temperaturas abaixo ou acima desses valores traduzem-se emproblemas na frutificação.

Fertilização: Deve incorporar-se composto de boa qualidade em fertilização de fundo, devendo ter-se em atenção que excesso de azoto vai levar a um elevado crescimento vegetativo em detrimento da formação/crescimento de frutos. A cultura necessita também de fósforo numa forma facilmente assimilável..

Rega: A rega gota-a-gota é uma boa opção para a cultura pois fornece água de uma forma bastante localizada às plantas e evita a que haja água sobre as folhas e frutos que pode levar ao desenvolvimento de doenças.

Controlo de infestantes: O mulching com materiais orgânicos e plástico são boas opções para a cultura, evitando a competição com infestantes, que os frutos entrem em contacto com o solo e que seja porta de entrada a possíveis podridões. O plástico tem também a vantagem de ajudar a conservar a humidade no solo.

Controlo de pragas: Os ácaros, afídeos, lagartas roscas, lagarta do tomate, lagarta mineira do tomate (Tuta absoluta), larvas mineiras, mosca branca e tripes são pragas da cultura. Para controlo dos ácaros através de luta biológica utilizam-se ácaros predadores e, se necessário, azadiractina e enxofre em pó (se T<28°C). Para o controlo dos afídeos devem ser usadas fertilizações moderadas sem excesso de azoto; limitação natural com sebes em bordadura para favorecer os auxiliares; luta biológica com himenópteros parasitóides e predadores; e, se necessário, aplicação de sabão de potássio ou azadiractina. As lagartas roscas são controladas evitando o uso de estrume fresco; pelo uso de isco com farelo + melaço + Bacillus thuringiensis sobre o terreno junto à cultura; Bacillus thuringiensis em pulverização; luta biológica com nemátodes Steinernema carpocapsae; e, se necessário, aplicação de azadiractina. A lagarta do tomate é controlada através de tratamento biológico com Bacillus thuringiensis. A lagarta mineira do tomate (Tuta absoluta) é controlada através da sua captura com armadilhas sexuais para redução da população; luta biológica com mirídeos; e por tratamento biológico com Bacillus thuringiensis. As larvas mineiras são controladas através da limitação natural com sebes e outras plantas melíferas que alimentem os adultos dos parasitoides e também pela luta biológica com himenópteros parasitóides. A mosca branca é controlada através de fertilizações moderadas sem excesso de azoto, não transplantar plantas infestadas, colocar placas amarelas com cola para protecção, luta biológica com himenópteros parasitóides, ácaros predadores e insectos mirídeos predadores, podendo também, se necessário, pulverizar-se azadiractina. As tripes são controladas através de plantas em bordadura favoráveis aos auxiliares antocorídeos (malmequeres entre outras compostas) e pela luta biológica com ácaros predadores e antocorídeos.

Controlo de doenças: A alternariose, míldio, oídio e podridão cinzenta são doenças da cultura. Para o controlo da alternariose devem ser usados compassos largos e, se necessário, fungicidas cúpricos (como a calda bordalesa) em tratamento preventivo. Para o controlo do míldio deve usar-se compassos de plantação largos, rega gota-a-gota e, se necessário, fungicidas cúpricos (como a calda bordalesa) se existirem condições favoráveis à doença (humidade relativa >90%, temperatura entre 10 a 25°C, noites frias e dias moderadamente quentes e húmidos). Para o controlo do oídio devem ser usados compassos largos, fertilização moderada sem excesso de azoto e, se necessário,enxofre em pó polvilhável ou enxofre em pó + lithothamne (1:1) em polvilhação (menos fitotóxico que enxofre estreme). Para o controlo da podridão cinzenta deve eliminar-se restos de plantas doentes, evitar excesso de vigor, evitar água sobre as plantas, podar cedo os rebentos laterais de forma a ter feridas de poda o mais pequenas possíveis e pela aplicação regular de argila bentonítica.

Tutoragem: É uma operação que leva a manter a planta erguida, sem que as folhas e os frutos toquem no chão, evitando assim que haja o surgimento de doenças por essa via (como podridões), melhorando também a exposição da planta à luz solar, o arejamento e facilitando as operações culturais e colheita.

Poda de formação: É uma operação bastante importante nas variedades de crescimento indeterminado. Realiza-se entre 15 a 20 dias após o transplante com o surgimento dos primeiros rebentos laterais que devem ser eliminados e definindo o número de “braços” por planta..

Operações em verde: Devem eliminar-se regularmente todas as folhas velhas e com sinais de doença. Os rebentos que surjam nas axilas devem ser eliminados pois irão retirar recursos de locais onde farão falta. Também podem ser realizadas mondas aos frutos removendo aqueles que apresentam formas e calibres não pretendidos, bem como sinais de pragas ou doenças.

Colheita: A colheita será escalonada pelo que se deve ir colhendo consoante o destino da produção. Se o objectivo for a sua venda e sendo um fruto climatérico, pode ser colhido antes da sua maturação completa.

Pós-colheita: Independentemente da variedade deve ser conservado a baixas temperaturas, tendo o ambiente uma humidade relativa de 90 a 95%.

A Agricultura Biológica com técnicas menos agressivas, respeita os ritmos da natureza, com benefícios para os ecossistemas e saúde humana.
Sempre que possível, consuma estes produtos.

Sem avaliações neste momento.

Escrever uma avaliação

Sementes Tomate Coração de Boi  Bio

Sementes Tomate Coração de Boi Bio

O tomate mais amado pelos portugueses – irregular, às vezes quase disforme, cativa pela doçura, delicadeza, sabor e textura incríveis e poucas sementes; maravilhoso em saladas e arroz malandrinho.

Colheita tardia, frutos grandes que pesam em média 200 g. Variedade de hábito de crescimento indeterminado que necessita de estacas para uma produção saudável. Um clássico nas saladas de verão! 

Linha Heritage

30 produtos nesta categoria: